Responsável Químico 

A Cia da Piscina é registrada no Conselho Regional de Química - CRQ sob o nº 4763, de acordo com o Art. 27 da Lei nº 2800/56 de 18/06/1955, combinado com o Art. 1º da Lei nº 6839/80 de 30/10/1980, tendo como responsável Marcus Vinícius Camilo Guimarães, técnico químico registrado no CRQ - RJ / 3ª Região Nº 03422243.

Este profissional tem como objetivo realizar visitas periódicas para controle químico e qualidade da água em locais de atuação da empresa

Desenvolvemos e aplicamos junto ao profissional químico, o projeto chamado "PISCINA SAUDÁVEL", que visa manter o padrão dos Parques Aquáticos de nossos clientes conforme legislação. Para tanto, informamos alguns dos principais aspectos que são observados para este controle:

 

PISCINAS
Obrigatoriedade de escadas, lava-pés, ducha, vestiários, instalações sanitárias e equipamentos de salvamento (bóias, cordas, materiais de primeiros socorros e salva vidas).

 

TANQUE
Prever 2m² por pessoa, 1m² por criança menor de 6 anos, paredes retas sem saliências ou reentrâncias. A parte mais rasa deve ser menor ou igual a 1,20 m. O entorno deve ser de piso antiderrapante, com caimento de 1% para fora do tanque. Respeitar 1,50 m de distância de qualquer parede.

 

DUCHA E LAVA-PÉS
Passagem obrigatória antes do banhista entrar na piscina.

 

CONTROLE DA QUALIDADE DA ÁGUA DO TANQUE
Sistema de circulação da água por tratamento a cada 6 horas, dispositivos de medição de pH (7,2 - 7,8) e cloro residual (0,8 - 3,0 mg/l)

Ter Bombas/filtros/dosadores de produtos químicos/equipamento de cloração/canalizações de água limpa e manutenções/ guardiões de piscina habilitado.

Controle bacteriano da água (opcional)
Pesquisa de algas , leveduras e amebas de vida livre (opcional)


ÁGUA DA PISCINA
Livre de matéria flutuante, espuma e turbidez.

 

LAVA-PÉS
Com torneira e ralo, esvaziados e lavados diariamente com medição de cloro residual.

 

CASA DAS MÁQUINAS
Devem estar limpas, organizadas, arejadas, bem iluminadas, livre de entulhos e objetos não pertencentes à piscina. Deve dispor de espaço suficiente para circulação do operador de piscina e pessoal para manutenção.

No momento da fiscalização, o cliente deverá apresentar as seguintes condições:

Instruções sobre o regulamento da piscina e sinalização de profundidade em local visível para o usuário.
Passagem obrigatória por ducha o cloro residual do lava-pés.
Passagem obrigatória pelo lava-pés.
Duas escadas removíveis por tanque ou uma para cada nível de profundidade, possuir equipamento de salvamento e caixa de 1ºs socorros.
A água da piscina deve estar límpida, livre de matéria flutuante ou espuma. Deve permitir visualização dos azulejos do fundo.
Realizar medição de cloro e pH do tanque e do lava-pés, para avaliação da qualidade da água. Possuir dispositivos de medição.
Registrar em livro de ocorrências o índice apresentado pelos dispositivos.
Registrar volume de água renovado ou recirculado e quantidade de produto químico aplicado a cada 24 horas.
Nas piscinas aquecidas, recomenda-se manter a temperatura em até 28°C.
Informar a profundidade da piscina nas bordas externas, com adesivos ou pintura de material impermeável e antiderrapante, de fácil visualização e tamanhos compatíveis com a extensão da piscina.
Os produtos para a piscina devem possuir registro no MS (Ministério da Saúde) e validade adequada, armazenados de forma organizada em local seco.
A autoridade sanitária do município do Rio de Janeiro tem acesso livre qualquer dia e hora para verificação dos serviços, podendo relatar não conformidades encontradas para serem corrigidas caso forem necessárias, após avaliação.

guardiaodepiscina

legalizacaopiscina

representantemasterflow

responsavelquimico

 

redesocial

 

rdfacebook 

 

 

leisdecretos

 

Lei Nº 5837 de 11/11/2010 (RJ)

....................................................

Lei Nº 6772 de 09/05/2014 (RJ)

....................................................

Decreto: Nº 4.447/81

  • albacete
  • acprodutos
  • dancor
  • epex
  • genco
  • hth
  • jacuzzi
  • sodramar